Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
A VISITA (TM Acolhimento)

A VISITA (TM Acolhimento)

Teatro & Arte | Teatro

Teatro Meridional

Sala Principal
Classificação Etária
Maiores de 12 anos
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2020
mar
11
a
2020
mar
15

Próxima Sessão

11 mar 2020 21:30
Dias
Hrs
Min
Seg

Duração

55 minutos

Abertura Portas

20:30

Intervalo

Sem Intervalo.

Produtor

Associação Cultural Noite do Fogo

Sinopse

Quando um homem do campo carregado de memórias, caminha solto no espaço, os seus pés de barro misturam-se com os dedos que se cavaram na terra. A harmonia é dissonante, no equilíbrio ele parece cambalear, como se fosse voar. Como marinheiro sem mar. A melodia desse movimento, encontra o compasso no tropeço, como um corpo suspenso, que procura o gesto para sintetizar, a ideia que se perde no meio da palavra. O ritmo determina o seu andamento pela ansiedade, e a respiração queima o ar. O texto serve apenas como ferramenta para uma construção, ou desconstrução de qualquer lógica naturalista. O texto vai ao encontro da poética das sonoridades mais rurais. Que espera este homem? Que podem esperar os homens? Que se pode esperar encontrar dentro das invenções que se reinventam para acreditar que se vive... ou não se vive. As aldeias morrem, de gentes, de bichos, e depois, de memórias que se escondem no vazio onde dorme a essência daquilo que somos e não somos.

Um homem dentro da mais absoluta solidão de uma aldeia de Portugal, igual a todas as aldeias onde já ninguém vive, nessa aldeia vazia de gente, só um ser inventado, pode contar, ou inventar histórias que talvez, nunca existiram.As aldeias... realidade abandonada à própria sorte... realidade perdida... desconexa. Mítica paisagem que a todos parece envergonhar e que todos procuram ignorar, desconhecendo que mesmo desertas elas existem, mesmo sem habitantes, elas resistem, mesmo sem existirem, elas teimosamente resistem... lugar para onde não se volta mais.

Ficha Artística

Texto e Encenação: Moncho Rodriguez
Interpretação: Pedro Giestas
Espaço Sonoro: Narciso Fernandes
Execução de Figurinos: Marília Martins / Lurdes Dourado
Cenário e Adereços: Lino Gonçalves / CCPL
Desenho de Luz: Ramon Barreto
Coordenação de Pesquisa: Ana Gonçalves
Apoio na Pesquisa: C. M. Montalegre
Operação de Luz e Som: Miguel Marques
Produção: Teatro Invisível / ACNF
Co-Produção: CCPL

Preços

  • Plateia - 12€

Descontos

  • < 25 ANOS
  • > 65 ANOS
  • DIA DO ESPECTADOR

-
Partilhar

Serviços Adicionais

Veja ainda: